fbpx
3 Maiores erros de um e commerce – fique longe deles

3 Maiores erros de um e commerce – fique longe deles

Quer saber quais os 3 maiores erros de um e commerce? Pois bem, já dizia um velho ditado meu os seguintes: “Não procuro somente a chegar o mais próximo o possível felicidade, procuro, inclusive, ficar longe das coisas que me entristecem“.

Nesse sentido antagônico das coisas, procurar somente acertar, inclui, se distanciar o máximo possível daquilo que nos fará errar, correto?

Com esse pensamento, resolvemos enumerar 3 (três) maiores erros de um e commerce.

Não procuro somente a chegar o mais próximo o possível felicidade, procuro, inclusive, ficar longe das coisas que me entristecem

Tellys Castro

As 3 maiores erros de um e commerce são:

  1. Queixar da Crise e ficar de olho no concorrente.
  2. Não usar a totalidade dos recursos da plataforma e esperar que tudo se resolva com a tecnologia.
  3. Culpar os outros pela sua omissão e falta de pró atividade.

A melhor plataforma de Ecommerce que existe, só precisa vender e para ajudar nessa ‘simples‘ tarefa, um conselho semelhante ao uso de filtro solar, seria: ter em sua loja virtual (veja: 5 outros passos para seu sucesso), um fluxo de compras estável e limpo no checkout.

 ter em sua loja virtual (veja: 5 outros passos para seu sucesso), um fluxo de compras estável e limpo no checkout.

As automações que a plataforma faz, existem somente para tratar a omissão do lojista, ou seja, a automação é apenas um subterfúgio, pois, não existem tecnologias baratas que substituam a sagacidade e criatividade que o ser humano pode ter.

Criação de loja virtual: o planejamento digital e mais 5 outros passos para seu sucesso

Criação de loja virtual: o planejamento digital e mais 5 outros passos para seu sucesso

Criação de loja virtual, pode parecer um processo simples, mas não é. Muitos empreendedores, levados pela emergência de seus projeto ou pela simples ansiedade em tê-lo, escolhem os métodos de criação de lojas virtuais (e-commerce) mais simples e com o menor custo, com isso alguns dissabores podem surgir.

A criação de lojas virtuais simples e baratas é um argumento bastante convincente, porém em pouco tempo, o barato poderá sair caro.

Qualquer empreendimento exige um planejamento. A criação de loja virtual não é diferente. O processo de criação de loja virtual, exige um plano de negócios e dentro desse, se encontra o planejamento digital. Desses planos (planejamento comum e o planejamento digital), iremos citar 5 passos a se considerar quando da criação de uma loja virtual, veja:

  1. A cara e a postura da sua loja virtual
  2. O sistema e seu layout
  3. Conteúdos
  4. Engajamento > conversão & Engajamento > leads
  5. Marketing digital

Criação de lojas virtuais em 5 passos

1) A cara e a postura da sua loja virtual

Criação de lojas virtuais (e-commerce), assim como a criação de lojas físicas, carecem de um estudo prévio de itens básicos. A solução dos processos iniciais que elencaremos abaixo, darão um norte / inspiração para a cara e a postura da sua loja virtual, veja:

Nicho de atuação:

Tome conhecimento de como anda a saturação do mercado para o qual quer se criar loja virtual.

Levante dados que orientem seus passos e lhe apresente o palco de ações de seu .

Sabendo disso, é possível definir melhor o nicho de atuação da loja virtual. Criar uma loja virtual focada, aumenta muito as chances de sucesso.

Nome da loja virtual:

Defina um nome para sua loja virtual seguindo os seguintes requisitos:

  • de fácil escrita,
  • de fácil leitura  e
  • coerente com o seu e-commerce.

Identidade institucional:

Defina um logotipo bem modelado, já pensando no uso dele para aplicativos smartphones e layout responsivo. Veja alguns pontos importantes:

  • Simule seu logotipo em tamanhos menores, como se fossem botões de aplicativos na tela de um smartphones. Veja se ele fica com o visual agradável.
  • Simule-o usando somente uma cor (monocromático).
  • Defina as fontes a serem usadas, pense em fontes fáceis de se ler, mesmo em tamanhos menores.
  • Defina toda sua papelaria e etc.

Estratégia de ações frente aos concorrentes:

Atacar em pontos inexplorados pelos concorrentes, já seria um belo começo.

Aqui o leque de assuntos exige uma consultoria para que se levante os dados necessários para se estabelecer a melhor estratégia para seu projeto de e-commerce de sucesso.

Diferencial de sua loja virtual:

Sem um diferencial, ser mais um no mercado, não traz sucesso para ninguém.

Busque esse diferencial e mostre ele como se fosse uma bandeira, ele será seu maior trunfo.

2) O sistema e seu layout

A escolha do melhor sistema para lojas virtuais (e-commerce) é um ponto crucial do planejamento digital e vital para o sucesso do empreendimento. Para isso, temos os seguintes passos:

A escolha de um sistema para loja virtual

Procure um sistema para loja virtual que tenha, no mínimo os seguintes requisitos:

  • que seja robusto e otimizável,
  • que disponha das principais funções e controles necessários para a criação de lojas virtuais (e-commerce) e
  • que tenha uma boa disponibilidade de técnicos que possam manutenir e ou expandir seu sistema de loja virtual.

O layout (parte visual)

    • a personalização do layout de sua loja virtual deve ser voltada para a melhor acessibilidade possível. Facilidade de navegação é a lei.
  • ter um layout responsivo, ou seja, que se adeque a todos os tamanhos de telas de smartphones e tablets. O acesso vindo de smartphones cresce a cada dia.

3) Conteúdos

O conteúdo é rei! O conteúdo é a espinha dorsal do sucesso da criação de loja virtual, pois é ele quem dará ao cliente, respaldos para a decisão na hora de comprar. A criação de conteúdos é algo que decidirá pela sobrevivência ou não da criação de loja virtual.

Os tipos de conteúdos são diversos, assim como os canais, sendo alguns deles os seguintes:

Tipos de conteúdos

  • textos;
  • imagens;
  • slides;
  • vídeos;
  • e-books;
  • sons etc.

Canais

  • E-commerce: utilizar fotos, textos e outros conteúdos como vídeos e e-books, os mais personalizados possíveis. Melhor ainda, se forem de criações próprias.
  • Blog: crie conteúdos correlacionados aos seus produtos, dê dicas, faça tutoriais, disponibilize downloads de materiais como slides, e-book etc.
  • Redes sociais: crie suas redes, tenha peris de referência, estreite os laços com os fãs que foram conquistados, mantenha a interatividade dos perfis de suas redes sociais em alto nível.
  • E-mail marketing: criar lista de contatos para e-mail marketing é um grande desafio, mas é de suma importância. Mantenha o contato com os cadastros de sua lista de e-mails, crie novos cadastros, dispare e-mails marketing aproveitando-se das oportunidades sazonais e cative a sua lista com disparos com ações específicas por seguimento, dê movimento às coisas.

4) Engajamento > conversão & Engajamento > leads

A criação de sua loja virtual esta finalizada. O visitante chegou nela, e agora?

Temos no mínimo duas situações:

  • Venda: engajamento > conversão.
    • Engajamento = envolvimento: envolver o visitante para transformá-lo em cliente.
    • Conversão = converter a visita em venda.
  • Carteira de contatos: engajamento > leads.
    • Engajamento = envolvimento do visitante para que ele faça o cadastro de seus dados nos formulários da loja virtual.
    • Leads = é o sucesso do cadastro com o dado do visitante salvo na base de dados da loja virtual.

5) Marketing digital

A sobrevivência de todo projeto esta nesse último ponto, o marketing digital para e-commerce.

Alguns passos do  marketing digital para e-commerce que citaremos, podem ajudar muito na aquisição de visitas para loja virtual, ações essas que, ou darão mais visibilidade para os conteúdos da loja virtual ou trarão mais autoridade a ela, veja:

SEO (Search Engine Optimization):

SEO para e-commerce é um conjunto de técnicas de que indicará as melhores formas e estruturas para otimiza os projetos de seu e-commerce para um melhor posicionamento nos resultados de pesquisas nos sites de busca como o Google, Yahoo e Bing por exemplo. A ideia é se mostrar como resultado de busca, no melhor posicionado possível.

O SEO para e-commerce é um diferencial bastante interessante de se ter, pois um de seus benefícios é aumentará o tráfego de visitantes em sua loja virtual.

SEM (Search engine marketing):

A grosso modo, são os links patrocinados em sites como o Google (Google Adwords) e Yahoo. Onde se paga por clique, por conversão etc.

SEM, está ligado ao marketing patrocinado pela web (pagar para aparecer), seja em buscadores, seja em sites de referência etc. A ideia é colocar anúncios onde os possíveis clientes estejam visitando.

Administração de redes sociais:

As otimizações realizadas nos conteúdos das redes sociais, com o intuito de trazer o maior engajamento possível. Tratando cada rede social, com suas devidas peculiaridades.

Landing pages:

São páginas tratadas para que sirvam como gargalos dos leads conseguidos. Otimizadas ao ponto de provocar o máximo de sucesso possível nos leads.

Análise de tráfego e conversões:

analisa todo o supracitado de forma a criar perfis para melhores trabalhos posteriores, bem como a reformulação das campanhas lançadas. Basicamente estuda comportamentos e orienta reformulações a serem colocadas no e-commerce, bem como sobre as novas oportunidades existentes na loja virtual.

Outros:

Ainda existem outras denominações do marketing digital, que deixaremos para tratar em outro momento.

Conclusão

O mercado de lojas virtuais esta crescendo cada dia mais, no entanto, muitos desses empreendedores não terão sucesso, pois tratam com simplicidade, um processo que é complexo.

Criar uma loja virtual é fácil, no entanto, tem um bom sistema de criação de lojas virtuais (e-commerce) e um planejamento digital de curto, médio e longo prazo, farão do empreendimento, um grande candidato ao sucesso.

O que é Black Friday? Black Friday Brasil

O que é Black Friday? Black Friday Brasil

O que é Black Friday? Respondendo a pergunta: traduzindo do inglês para o português, Black Friday seria o mesmo que Sexta-Feira Negra. Mas a Black Friday não é bem isso, Black Friday é o dia em que o varejo (lojas que vendem direto ao consumidor final) colocam vários produtos em promoção com 70%, 80% de desconto, ou até mais. A Black friday começou nos Estados Unidos e já se espalhou para outros países. A Black friday Brasil, por exemplo, existe desde 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online.

O sucesso da Black Friday chegou a tal ponto que algumas pessoas chegam a acampar em frente as lojas participantes para pegaram as melhores promoções. Diante desse sucesso, a Black Friday vem sendo adotada por vários países do globo.

O que é black friday? Brlack friday Brasil - sul de minas - agência de publicidade

Onde a Black Friday foi criada?

A Black Friday foi criada nos Estados Unidos para dar nome a ação de vendas anual que acontece na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças (feriado americano), resumindo, tudo isso ocorre na quarta sexta-feira do mês de Novembro. Assim também ocorre na Black friday Brasil.

A Black Friday é uma das datas mais agitadas do varejo no Brasil. No dia da black friday, as lojas abrem bem cedo, algumas às 05:00 horas (cinco horas da manhã), tudo para atrair o maior número de consumidores através das promoções.

Na Black Friday se compra antecipadamente para presentear no natal

A Black Friday é também é conhecida por dar início à temporada de compras de natal. A popularidade do evento é grande, sendo que os descontos oferecidos na Black Friday, são considerados por muitos consumidores, como descontos mais atrativos do que os descontos dados na época do natal. Informação essa que tira a pergunta “o que é black friday?” totalmente de sua tradução literal, ou seja, não há nada de negro nesse dia, somente alegria.

A primeira Black friday Brasil

A primeira Black friday Brasil aconteceu no dia 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online. A data reuniu mais de 50 lojas do e-commerce para varejo nacional.

Nesse black friday 2015 a espera é de uma adesão de vários seguimentos do comércio e de serviços.

Faturamento do Black friday Brasil (2011,2012, 2013 e 2014)

Infográfico black friday

Black Friday 2011

Rendeu um faturamento de 100 milhões para o e-commerce brasileiro, representando um incremento de 80% em relação ao ano de estreia país.

Black Friday 2012

Em mais de 300 lojas virtuais e foi a primeira vez que lojas de decorações participaram do evento. A “Black Friday” de 2012 foi encerrada com faturamento total de R$ 243 milhões

Black Friday 2013

A Black Friday de 2013, mais uma vez bateu recorde de vendas, contemplando a venda tanto de bens, como produtos diversos, imóveis, carros, artigos infantis; utilidades domésticas, quanto de serviços, como turismo, festas infantis e comunicação.

Segundo a E-bit, empresa especializada em informações do e-commerce, o evento movimentou R$ 770 milhões, quebrando os recordes de faturamento em um único dia, e foi responsável por um crescimento nominal de 217%, na comparação com o ano passado.

Em 2013, os produtos mais almejados são televisores e smartphones. A média de desconto para aparelhos celulares foi de 16%, e para televisores chegou a 19%.

Black Friday 2014

Segundo a consultoria E-Bit, em 2014, a data gerou R$1,2 bilhão somente na internet, que corresponde a 3,5% do faturamento anual, consolidando assim, a Black Friday Brasil como uma das datas mais importantes para o comércio online.

Black Friday 2015

Mesmo com um cenário de crise econômica, o comércio eletrônico e geral brasileiro continua a crescer e, na Black Friday 2015, as compras deverão seguir subindo, atingindo a maior cifra do ano novamente. Novos recordes de venda deverão acontecer. As lojas virtuais (e-commerce) que se prepararam para a data deverá colher os melhores resultados.

Curiosidades da Black Friday

Site americano contabiliza os mortos e feridos nas lojas durant e Black Friday EUA

Mais uma curiosidade é que um site americano chamado Black Friday Death Count contabiliza os mortos e feridos nas lojas durante esse dia, onde a loucura toma conta do povo americano em busca dos descontos.

Vamos torcer para que na Black Friday 2015 os números seja zero. Para que quando se perguntarem o que é black friday, se responda como se espera do evento, um sucesso de venda para o comércio e para os consumidores

Para evitar praticas fraudulentas na Black Friday

Para evitar praticas fraudulentas como a maquiagem de preços e falsos descontos, a câmara brasileira de comércio eletrônico (Câmara e-net), criou o código de ética para a Black Friday, e publicou uma lista com as lojas participantes que foram regulamentadas segundo as normas da cláusula. Na Black Friday 2015 espera-se um comportamento diferente de todas as partes envolvidas. Lembrando que maquiagem de preço não compactua com o modelo americano nem responde ao cliente o que é black friday.

O evento Black Friday Brasil

O evento Black Friday Brasil não tem regulamentação oficial, nem organização centralizada. Lembrando que o caso acima citado da Câmera e-net, não trata de uma instituição oficial de governo ou uma instituição com poder de regulamentação. Qualquer empresa, tanto virtual, quanto física pode fazer promoções com o nome Black Friday, não precisa ter nem ideia do que venha significar o que é black friday.

Nos sites de pesquisa na internet, como o Google, a procura pela palavra-chave ‘‘Black Friday’’, em 2013, cresceu mais de 300% em relação a 2012, isso fez com que as agências de publicidade para e-commerce e ou agências de publicidade com serviços para black friday ramo em geral a se colocarem como centrais oficiais do evento.

Após o sucesso de vendas da Black Friday, o Cyber Monday também foi importado para o Brasil